Crianças X restaurante: o que esperar?


"Camila, alguma dica pra fazer o meu filho se comportar no restaurante?"

"Camila, nós vamos pro culto na igreja, mas meu filho quer ficar andando o tempo todo."

Anota aí a dica: ACEITA! Porque quando você aceita que isso é o normal, o seu cérebro, em vez de ficar reclamando, vai focar em encontrar soluções pra situação.

Crianças de até 3 ou 4 anos NÃO CONSEGUEM FICAR PARADAS. Elas ainda não têm o cognitivo preparado pra focar em alguma atividade por muito tempo, e se você não está estimulando a concentração dessa criança, a situação fica ainda pior.


Nós, adultos, temos o momento da refeição muito mais pra socialização. Então pedimos entrada, prato principal e sobremesa pra estender esse momento e podemos levar mais de 2 horas nesse processo, não é mesmo? Mas pra criança, isso não faz sentido. Assim que ela termina de comer, não existe mais razão para ela estar ali, entende?


Quando você vai pra igreja, um lugar onde as pessoas ficam em silêncio, é um martírio pra uma criança que, além de não entender do que se trata, tem que ficar sentada e quieta. Pode parecer simples pra você fazer isso, mas pra uma criança, é muito difícil usar 3 habilidades ao mesmo tempo: se concentrar, ficar em silêncio e ficar sem se mover.


Quando você sai de casa esperando que as coisas saiam conforme você planejou, não é culpa da criança que se comportou mal, nem do garçom que não cooperou, nem das pessoas na igreja que ficaram te olhando feio sem entender que seu filho "é só uma criança". As suas expectativas é que foram frustradas, e ninguém tem nada a ver com isso.


"Ah, Camila, então quer dizer que eu não posso ir a um restaurante ou à igreja porque tenho filho pequeno?"


Não só pode como deve. Mas mantenha as suas expectativas dentro da realidade do seu filho. Não o obrigue a se adequar a elas quando ele ainda não é capaz de fazer o que você gostaria, nem espere que as outras pessoas cooperem com você. Acredite: assim sua vida vai ficar mais fácil.


Ao sair de casa, não importa pra onde você esteja indo, sempre leve algo pra criança comer, beber e se distrair, mas lembre-se de que não dá pra contar que tudo vai sair conforme o esperado. Se seu filho usa fraldas, leve uma extra.


Vai a um restaurante? Esteja preparado pra ir embora assim que terminar a refeição. Vai pra igreja? Não são as pessoas que devem entender nada. A decisão de levar seu filho pra um programa de adultos foi sua. Então, entenda as necessidades dessa criança de se locomover e de se entreter. Não incomode as outras pessoas que saíram de casa pra ouvir o sermão (não o seu filho gritando) só porque você quer ficar sentada(o) ou não quer deixar o local.


Não, isso não é um ataque. É só uma perspectiva diferente das coisas. Estou chamando a sua atenção pra encontrar soluções em vez de transferir pro outro a culpa pelo problema. Porque quando você transfere pro outro, seu cérebro automaticamente entende que o problema não é seu e para de procurar soluções.


Então, antes de dizer que o problema é do seu filho que não para quieto, tente parar e observar a situação de fora. Entenda os porquês e deixe o resto com o seu cérebro. Ele vai encontrar as soluções pra você. Bons estudos 🌷📚

Não quer perder as novidades?